Instalação

O que é e como editar o Wp-Config.php

Neste artigo, vamos falar sobre o arquivo wp-config.php, que é o responsável pelas configurações mais sensíveis de um site em WordPress. Além disso, esta configuração também é responsável por armazenar dados sensíveis da nossa aplicação, como o usuário e senha do nosso banco do WordPress.

Ao contrário de outros arquivos, wp-config.php não vem embutido com WordPress. Ele é gerado dinamicamente durante a instalação do WordPress.

Além da Informação da base de dados, o arquivo wp-config.php também contém informações de alto nível. Vamos falar sobre isso neste artigo.

Uma vez que este arquivo contém um monte de informações sensíveis, é recomendado que você não altere este arquivo sem que você tenha uma cópia de segurança antes, caso algo não dê certo.

Para que serve o wp-config.php

É através do arquivo wp-config.php, nós podemos ativar o modo de depuração e também realizar a conexão com o banco de dados.

Ele contém informações sobre o banco de dados, incluindo o nome, dados do servidor, nome de usuário e senha. Esta informação permite ao WordPress se comunicar com o banco de dados para armazenar e recuperar dados (por exemplo, Posts, Usuários, configurações, etc).

O arquivo também é usado para definir opções avançadas para WordPress.

No curso WP Samurai, nós falamos sobre o arquivo Wp-Config.php no módulo 4 do curso. Para conhecer mais, clique aqui.

Como acessar o Wp-Config.php

Antes de começar a alterar, é importante que você faça o backup do arquivo de configuração. Qualquer erro dentro do arquivo de configuração, pode simplesmente tira-lo do ar.

Se o seu site estiver online, você poderá acessar o arquivo através do FTP ou através do gerenciador de arquivo, disponível no cPanel da sua hospedagem.

O arquivo wp-config. está normalmente localizado na pasta raiz do seu site com outras pastas como o /wp-admin.

Conexão com banco de dados

Como escrito acima, o wp-config.php é responsável por armazenar as credenciais do banco de dados. Para isso, o WordPress utiliza as constantes “DB_NAME”, “DB_USER”, “DB_HOST” e “DB_PASSWORD”. Como nós veremos no código abaixo:

// ** MySQL settings - You can get this info from your web host ** //
/** The name of the database for WordPress */
define('DB_NAME', 'nome_do_banco');
/** MySQL database username */
define('DB_USER', 'nome_do_usuario_do_banco_de_dados');
/** MySQL database password */
define('DB_PASSWORD', 'senha_do_usuario_do_banco_de_dados');
/** MySQL hostname */
define('DB_HOST', 'localhost');

Vale destacar que a constante “DB_HOST” na maioria das vezes, será localhost, que significa que o banco de dados está no mesmo servidor de aplicação. Há casos em que outros serviços de hospedagem, utilizam servidores de banco de dados separados. Neste caso, vale a pena consultar o suporte do serviço de hospedagem.

Salts e criptografia

São chaves de criptografia para cookies, usados na autenticação de usuários. Estas chaves fornecem uma forte criptografia para as sessões de usuário e cookies gerados pelo WordPress.

Para gerar chaves, utilize o link: https://api.wordpress.org/secret-key/1.1/salt/

define('AUTH_KEY',         'aA[|j_x|7Vdfsdfsr*LrVg_|nT M~wn:A6W]C2[');
define('SECURE_AUTH_KEY',  'sm% S#}5fJwbQ+U+:>#+82XX+[Ug33z-TTtaT+n');
define('LOGGED_IN_KEY',    'f^V=<lWM^[email protected]_,k20?b$UYF.HJjMG}$0`S-');
define('NONCE_KEY',        '!-lkhVFK#<tua565ewew{?T+A,3[BD:rNBk~v*e');
define('AUTH_SALT',        'wa<5]08i{n-10lef23efsddTJ{|-~Tn|*=X{eww');
define('SECURE_AUTH_SALT', 'xEP+!%UKgWLg?g#] [email protected]<[email protected]`Ocona/Mf');
define('LOGGED_IN_SALT',   'pLp^o;$j&@Jm)qLnTtfd=  =l|$:hZ>(T-04^,*');
define('NONCE_SALT',       'fffj<t+UzFz6,C6+b;[email protected]=O&r+rbnlBTcq&j');

 

 

Sobre o autor

Rodrigo Macedo

Rodrigo Macedo é empreendedor, trabalha desenvolvendo sites há mais de 10 anos. Trabalhou como analista e desenvolvedor de software em diversas empresas multinacionais.

É o fundador da empresa Wisebits, uma empresa focada no mercado digital.

Deixe um comentário